Perseguição aos Cristãos
3 Visitantes | 19/09/2014 16:50
 
Apresentação
Anúncio da 2° Vinda
Apostasia - Artigos
Apostasia na Igreja
Apostasia no Brasil
Apostasia no Mundo
Artigos do Monsenhor Abib
Artigos do Pe. José do Vale
Artigos do Pe. Léo Persch
Avanço da Bruxaria
Avanço do Ateísmo
Avanço do Espiritismo
Avanço do Satanismo
Eutanásia e Aborto
Notícias que Chocam
Nova Era
Nova Ordem Mundial
O Inferno Existe?
Os Tempos Finais
Perseguição aos Cristãos
Profecias
Visita Recomendada
Contato
Perseguição aos cristãos continua na Nigéria

23.02.2009 - Lagos - Após os atritos de sábado entre muçulmanos e cristãos, que causaram a morte de pelo menos 4 pessoas, o governador do estado de Bauchi, na Nigéria, impôs o toque de recolher noturno. As duas últimas noites foram calmas, e esta manhã, as ruas estão sendo patrulhadas por militares.

Foram também incendiadas igrejas e mesquitas. Além dos mortos, o diretor da Cruz Vermelha Nigeriana naquela região, Adamu Abubakar, informou que há 28 feridos graves, que tiveram de ser hospitalizados. Os habitantes contaram que as forças de segurança avançaram rapidamente para controlar a situação, que não se sabe muito bem como começou. As violências entre cristãos e muçulmanos são uma constante da Nigéria, e de 2000 até hoje, já provocaram milhares de mortes.

Em novembro passado, uma disputa eleitoral desencadeou uma onda de violências inter-religiosas no estado de Plateau, na qual centenas de pessoas morreram.

A população da Nigéria se divide em cristãos e muçulmanos, em proporções iguais. Os primeiros estão predominantes no Sul e os segundos no Norte, embora muitas vezes, misturem-se nas duas religiões influências de crenças animistas. Existem mais de 200 grupos étnicos no país, que é o mais populoso de toda a África, com mais de 140 milhões de habitantes. (CM)

Fonte: Rádio Vaticano

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lembrando...

Nigéria: Muçulmanos radicais em mais um ataque violento aos cristãos

24.04.2008 - NIGÉRIA - Centenas de muçulmanos ocuparam as ruas de Kano, cidade no norte da Nigéria, no último domingo, dia 20 de abril, reivindicando que um cristão havia blasfemado contra o profeta Maomé. Lojas foram depredadas, cristãos machucados e veículos foram incendiados.

Inúmeros cristãos que estavam nas igrejas foram retirados à força dos cultos. A situação só se estabilizou depois que a polícia conseguiu dispersar os agressores.

Muitos cristãos foram realocados pelo exército para quartéis de polícia na cidade. Há um temor de que os muçulmanos possam atacar novamente.

Segundo informações, um comerciante cristão teria colocado na parede de sua loja uma inscrição que foi interpretada como uma provocação ao profeta islâmico.

Irados, muçulmanos da região de Sabon Garia atacaram o cristão. Ele só não sofreu danos porque foi salvo a tempo pela polícia, que o levou para a delegacia.

Motim

Muçulmanos logo se agruparam em grande número e foram para a delegacia de polícia, enquanto ameaçavam apedrejar o cristão até a morte assim que os oficiais o libertassem, conforme prevê a sharia (lei islâmica). Felizmente, a polícia conseguiu dispersar o grupo.

"Um comerciante cristão foi acusado de fazer algumas inscrições que blasfemavam contra o profeta Maomé na loja dele e seus colegas muçulmanos se voltaram contra ele", explicou o porta-voz da polícia, Baba Maomé, em uma entrevista especial concedida a uma rádio local.

Ele disse que o cristão acusado foi liberado, mas correu para a delegacia de polícia em busca proteção, com medo de ser linchado. "Nós tivemos que retirá-lo da cidade de Kano para protegê-lo", contou.

A polícia prendeu alguns dos amotinadores muçulmanos e já está investigando o caso.

"Nós fizemos várias detenções de suspeitos de quebrar a ordem pública, enquanto isso o acusado cristão está sob custódia até a conclusão da investigação", disse o porta-voz da polícia.

Cristãos dizem que a acusação é "desculpa" para ataque

Nnamdi Ike, um cristão que testemunhou o distúrbio, contou ao Compass que são falsas as acusações de que o cristão teria colocado uma inscrição que insultava o profeta Maomé em sua loja.

"Sempre que os cristãos são atacados, eles são acusados de blasfêmia", disse Nnamdi Ike. "Nenhum cristão escreveu qualquer coisa Maomé ou o islã. É uma mentira, uma desculpa para nos agredir."

Sabemos da ocorrência de quatro casos de falsas reivindicações de blasfêmia contra cristãos no Estado de Kano, no ano passado, além de ataques contra três escolas secundárias e esta última na área do mercado", disse a testemunha cristã.

Os três casos de blasfêmia aconteceram em escolas secundárias teriam acontecido nas cidades de Tudun Wada, Gwarzo e Samaila. Em todas essas escolas públicas, estudantes cristãos foram atacados, feridos ou enviados de volta para casa.

Em 1994, fanáticos muçulmanos decapitaram Gideon Akaluka, um cristão detido em uma prisão de Kano, sob a alegação de que ele havia profanado o Alcorão.

Fonte: Portas Abertas

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Diz na Sagrada Escritura:

"Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações". (Mt 24,9)

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?" (Rm 8,35)

"Pois todos os que quiserem viver piedosamente, em Jesus Cristo, terão de sofrer a perseguição". (2Tm 3,12)

« Voltar   Ver outras »